8.8.17

Os ombros suportam o mundo...

Nasceu em Itabira, Minas Gerais em 1902. Consagrado poeta brasileiro, seu conjunto de obras o tornou um dos principais nomes na literatura brasileira do século XX. Esse poeta é Carlos Drummond de Andrade. As obras poéticas retratam: o conflito social, a família e os amigos, a existência humana, a visão sarcástica do mundo e das pessoas e também as lembranças da terra natal.

   Os ombros suportam o mundo


Chega um tempo em que não se diz mais: meu Deus.
Tempo de absoluta depuração.
Tempo em que não se diz mais: meu amor.
Porque o amor resultou inútil.
E os olhos não choram.
E as mãos tecem apenas o rude trabalho.
E o coração está seco.

Em vão mulheres batem à porta, não abrirás.
Ficaste sozinho, a luz apagou-se,
mas na sombra teus olhos resplandecem enormes.
És todo certeza, já não sabes sofrer.
E nada esperas de teus amigos.

Pouco importa venha a velhice, que é a velhice?
Teu ombros suportam o mundo
e ele não pesa mais que a mão de uma criança.
As guerras, as fomes, as discussões dentro dos edifícios
provam apenas que a vida prossegue
e nem todos se libertaram ainda.
Alguns, achando bárbaro o espetáculo,
prefeririam (os delicados) morrer.
Chegou um tempo em que não adianta morrer.
Chegou um tempo em que a vida é uma ordem.
A vida apenas, sem mistificação


10.7.17

Ausência
Por muito tempo achei que a ausência é falta. 
E lastimava, ignorante, a falta. 
Hoje não a lastimo. 
Não há falta na ausência. 
A ausência é um estar em mim. 
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços, 
que rio e danço e invento exclamações alegres, 
porque a ausência, essa ausência assimilada, 
ninguém a rouba mais de mim. 

Poema escrito por Carlos Drummond de Andrade (1902–1987) foi um poeta brasileiro. "No meio do caminho tinha uma pedra / tinha uma pedra no meio do caminho". Este é um trecho de uma das poesias de Drummond, que marcou o 2º Tempo do Modernismo no Brasil. Foi um dos maiores poetas brasileiros do século XX.
o poema trata sobre o sentimento de ausência, de vazio a nossa volta é algo que acontece muito frequentemente hoje em dia e as vezes isso ocorre pela falta de alguém importante naquele momento, porém esse é um sentimento nosso, de cada um e que dificilmente sairá de nós.

Referências:
Disponível em <http://www.citador.pt/poemas/ausencia-carlos-drummond-de-andrade> acesso : 05/07/2017
CUNHA, Antonieta. Disponível em:<http://www.passeiweb.com/estudos/sala_de_aula/portugues/carlos_drummond_de_andrade > acesso 05/07/2017

4.7.17

João Guimarães Rosa


João Guimarães Rosa
Guimarães Rosa (João G. R.), contista, novelista, romancista e diplomata, nasceu em Cordisburgo, MG, em 27 de junho de 1908, e faleceu no Rio de Janeiro, RJ, em 19 de novembro de 1967.
Além do prêmio da Academia Brasileira de Letras conferido a Magma, Guimarães Rosa recebeu o Prêmio Filipe d'Oliveira pelo livro Sagarana (1946); Grande sertão: Veredas recebeu o Prêmio Machado de Assis, do Instituto Nacional do Livro, o Prêmio Carmen Dolores Barbosa (1956) e o Prêmio Paula Brito (1957); primeiras estórias recebeu o Prêmio do PEN Clube do Brasil (1963).
Em 1952, Guimarães Rosa fez uma longa excursão a Mato Grosso e escreveu o conto "Com o vaqueiro Mariano", que integra, hoje, o livro póstumo Estas estórias (1969), sob o título "Entremeio: Com o vaqueiro Mariano". A importância capital dessa excursão foi colocar o Autor em contato com os cenários, os personagens e as histórias que ele iria recriar em Grande sertão: Veredas. É o único romance escrito por Guimarães Rosa e um dos mais importantes textos da literatura brasileira. Publicado em 1956, mesmo ano da publicação do ciclo novelesco Corpo de baile, Grande sertão: Veredas já foi traduzido para muitas línguas.
 Por ser uma narrativa onde a experiência de vida e a experiência de tex
to se fundem numa obra fascinante, sua leitura e interpretação constituem um constante desafio para os leitores.
Principais Obras Guimarães Rosa
·                     1936Magma
·                     1946Sagarana
·                     1947Com o Vaqueiro Mariano
·                     1956Corpo de Baile
·                     1956Grande Sertão: Veredas
·                     1962Primeiras Estórias
·                     1964Campo Geral
·                     1965Noites do Sertão
·                     1967Tutaméia – Terceiras Estórias
·                     1969Estas Estórias (póstumo)
·                     1970Ave, Palavra (póstumo)

Referencia:

http://www.academia.org.br/academicos/joao-guimaraes-rosa/biografia

 
| Design by Free WordPress Themes and Kurpias| Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes and Kurpias |