21.8.13

Dois Irmãos - Milton Hatoum



Autor
  O escritor brasileiro, Milton Hatoum, nasceu em Manaus, em 1952. Começou sua trajetória literária já com um livro premiado, Relato de um Certo Oriente publicado em 1990, onde foi reconhecido e recebeu o  Prêmio Jabuti.
Em seus livros, vemos um  certo sabor autobiográfico, pois neles o autor resgata o universo familiar que testemunhou no século XX, quando ocorreu o desembarque dos primeiros imigrantes em Manaus.  Ao abordar terríveis conflitos familiares, Milton enfoca a decadência dos princípios convencionais, sufocados pelo espaço cada vez mais dominado pela voracidade da globalização.                                      
   Milton Hatoum aborda em seus livros as consequências deste aniquilamento das convenções, o seu reflexo na desorganização das relações familiares, adotando igualmente um certo tom crítico na esfera política, principalmente no que se refere à Ditadura Militar vigente nos anos 60 e 70 no Brasil. O autor evoca os fantasmas do passado para reconstruir no presente as experiências já vividas. Consagrado pela crítica, é considerado um dos principais escritores da literatura contemporânea.                                                                                                                                    
Contexto-histórico
  Um forte traço a pontuar na obra é a questão da identidade, que perpassa toda a cultura pós-moderna, especialmente a literatura, pois representa a busca do próprio ser humano, que hoje se sente como um nômade, um incessante exilado, onde quer que esteja. Este traço é ainda, mais acentuado nesta obra, povoada por personagens que deixaram sua pátria para tentar uma vida nova no Brasil e por seus descendentes, que ainda não se sentem à vontade no lugar que ocupam.
  O fio condutor que guia a construção desta identidade é a memória, praticamente a protagonista da produção literária de Milton Hatoum, pois é ela, bem como sua eventual ausência, que orienta a narrativa. Dois Irmãos  é a obra mais explorada e analisada deste autor, ela apresenta avanços e recuos no tempo, sem uma cronologia linear. Os problemas vão sendo revelados ao leitor aos poucos, conforme o narrador rememora fatos esclarecedores e os encadeia para solucionar os enigmas da história.

Obra
   No início do século XX a cidade de Manaus recebeu vários estrangeiros, entre eles estavam o aprendiz de mascate chamado Halim e a menina Zana, que chegou sob a asa do pai, o viúvo Galib, dono de um restaurante perto do porto.
Halim e Zana casam-se e geram três filhos: Rânia, que nunca irá se casar, e os gêmeos Yaqub e Omar, que vivem em conflito. O casarão que habitam é servido por Domingas, a empregada índia, e mais tarde também pelo filho de pai desconhecido que ela terá. Esse menino chamado Nael — o filho da empregada — será o narrador. Trinta anos depois dos acontecimentos, ele conta os dramas que testemunhou calado. Dois irmãos é a história de como se faz e se desfaz a casa de Halim e Zana.                                                                                                                    
  Apaixonado pela mulher, depois do nascimento dos filhos Halim se condena à nostalgia dos tempos em que não era pai, em que não precisava disputar o amor de Zana, em que os dois tinham todo o tempo do mundo para deitar na rede do alpendre e se entregar aos prazeres sensuais. Pelo que nos conta o narrador, Halim estará sempre à espera da decisão mais acertada diante dos abismos familiares: a desmedida dedicação de Zana a Omar, seu filho preferido; o trauma de Yaqub, o filho que, adolescente, foi separado da família supostamente para amenizar os conflitos com Omar e a relação amorosa entre os gêmeos e a irmã Rânia.                                               
  Sobre Domingas, Nael relata que ela teve uma grande paixão por Yaqub, mas foi estuprada por Omar.  Diante disto a sua paternidade se torna um enigma.
  O enredo se desdobra a partir da volta de Yaqub, que na adolescência foi afastado do convívio familiar por 13 anos, para que as brigas entre ele e Omar fossem amenizadas. Esta decisão marca definitivamente a vida deste personagem, desprezado em prol do irmão.  Ao voltar para casa Yaqub casa-se com Lívia, um antigo amor dos dois irmãos, o que gera mais raiva entre eles.  Nael é marcado pela condição de bastardo e mantém a ideia fixa de desvendar sua paternidade.

Referências:
Hatoum, Milton. Dois irmãos. Disponível em: <www.resumosdelivros.com.br>. Acesso em: 21/06/2013.
Hatoum, Milton. Dois irmãos. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
De: Tatiane


Por: Amanda Bastos Maciel


Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
| Design by Free WordPress Themes and Kurpias| Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes and Kurpias |