6.1.14

Vinil, LP, Bolachão

           O Disco de Vinil, ou também LP (Long Play), é uma das mais antigas formas de reprodução musical existentes, ele foi desenvolvido em meados dos anos 40, criado para substituir os antigos discos de goma-laca, que até então eram utilizados.


Os vinis são mais leves, maleáveis e resistentes a choques, quedas e manuseio (que deve ser feito sempre pelas bordas). Além de terem o atrativo de arte nas capas, que sempre proporcionou um charme a mais para eles.
A gravação e produção de um disco de vinil segue um processo mecânico complicado, que se completa em sete etapas. Apesar da complexidade, a produção de um disco não dura mais de meia hora no total.
O disco de vinil possui microssulcos ou ranhuras em forma espiralada que conduzem a agulha do toca-discos da borda externa até o centro no sentido horário. Trata-se de uma gravação analógica, mecânica. Esses sulcos são microscópicos e fazem a agulha vibrar. Essa vibração é transformada em sinal elétrico. Este sinal elétrico é posteriormente amplificado e transformado em som audível (música).
A partir do final da década de 1980 e início da década de 1990, a invenção dos compact discs (CD) comprometeu os discos de vinil, por sua maior tecnologia, fazendo com que o famoso bolachão começasse a cair em esquecimento.


Por Diana Pretto

Um comentário:

  1. Penso que essa noticia já pode ser atualizada. Desde 2004 que os discos de vinil estão sendo prensados novamente aqui no Brasil. Só aqui em nosso pais que a produção foi interrompida. E já temos informação de que alguns dos primeiros CDs produzidos aqui já não se pode ouvir mais e tenho discos em gomalaca com mais de 100 anos que se pode ouvir normalmente.

    ResponderExcluir

 
| Design by Free WordPress Themes and Kurpias| Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes and Kurpias |