Pular para o conteúdo principal

O flamejante Cisne Negro


Dizem por aí que tem coisa que nem Freud explica, e olha que ele é o pai e deus-todo-poderoso-da-psicanálise.  Mas, Cisne Negro é o tipo de filme que só Michel Foucault explicaria com as suas teorias sobre loucura e sexualidade.
Cisne Negro conta a história de Nina Sayers, dançarina do New York City Ballet. Apenas mais uma na imensidão de ótimas bailarinas. Nina tenta se destacar e acaba conseguindo o papel principal na nova peça da companhia, O Lago dos Cisnes, de Tchaikovsky. Nessa encenação, ela deve interpretar o Cisne Branco, representação da delicadeza e do puro, e também o lado oposto deste cisne, o Cisne Negro, representação dos valores mais intrínsecos e selvagens.
Nos treinos para a apresentação final, fica claro que Nina não tinha problema nenhum em interpretar o Cisne Branco. Disciplinada como uma bailarina deve ser, e fazendo jus ao papel de filha de uma também ex-bailarina, Nina tenta encontrar a perfeição em passos cravados e milimetricamente calculados, mas só encontra este ponto na loucura que atormenta a sua mente e na desordem que causa nos passos do ballet negro.
Conforme o desenrolar da trama, fica cada vez mais evidente esta loucura e o desejo sexual de Nina, com cenas de masturbação feminina e beijos calientes entre sua amiga e ao mesmo tempo rival, Lily. Há, também cenas onde espinhos e asas saem da pele da bailarina, imagens onde o vermelho do sangue contrasta com a iluminação, passagens onde por ora o sonho vira realidade e vice-versa... Em mistos de cenas longas, ora com muita luz e espelhos (típicos de academias de dança), ora com jogos de sombra e baixa iluminação, o filme induz quem assiste à experiência sensorial única.
Cisne Negro concorreu a 5 indicações ao Oscar incluindo o de melhor atriz com Natalie Portman. É óbvio que levou este e mais outros dois prêmios, o do Globo de Ouro e o Sag Award pela mesma categoria. Pudera. É inimaginável outra pessoa fazendo o papel de Nina se não Natalie. Mesmo questionada sobre a autenticidade das cenas de dança, a atriz incorporou o papel da bailaria e rodopiou (com louvor!) em 90% do filme, deixando sua dublê à deriva de outras oportunidades em outros filmes...
A cena final, tão intensa quanto a personagem, foi o ápice do filme. Ela dança o Cisne Negro com a perfeição que encontrou no descontrole. Tambores batem, a luz abaixa, o foco é nos olhos vermelhos da ira do cisne, os espinhos na pele tornam-se asas e ela voa... voa tão alto que suga o último ar que consegue e cai. Olha diretamente nos olhos do treinador e diz: “Foi perfeito. Eu senti.” Era isso. Ela só precisava sentir. E conseguiu.


Ficha Técnica:
Título original: Black Swan
Realizado por: Darren Aronofsky
Escrito por: Mark Heyman (screenplay), Andres Heinz (stoy/screenplay), John J. McLaughlin (screenplay)
Elenco: Natalie Portman, Mila Kunis, Vincent Cassel, Barbara Hershey, Winona Ryder
Género: Drama, Thriller, Fantasia
Duração: 108 minutos

Paula Fernandes

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RESUMO DA OBRA "VÁRIAS HISTÓRIAS", DE MACHADO DE ASSIS

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu em 21 de junho de 1839, na cidade do Rio de Janeiro. Filho de família pobre e mulato, sofreu preconceito, e  perdeu a mãe na infância, sendo criado pela madrasta. Apesar das adversidades, conseguiu se instruir. Em 1856 entrou como aprendiz de tipógrafo na Tipografia Nacional. Posteriormente atuou como revisor, colaborou com várias revistas e jornais, e trabalhou como funcionário público. Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras. Algumas de suas obras são Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba, O Alienista, Helena, Dom Casmurro e Memorial de Aires. Faleceu em 29 de setembro de 1908.
Contexto Histórico
Várias histórias foi publicado em 1896, fazendo parte do período realista de Machado de Assis. Os contos da obra são profundamente marcados pela análise psicológica das personagens, além da erudição e intertextualidade que transparecem, como por ex., referências à música clássica, a clássicos da literatura, bem como a histórias bíb…

Lendas de Guarapuava

Por Elis Oliveira
Há quem acredite que Guarapuava é uma cidade permeada por lendas. Quem nunca ouviu alguém contar a sua versão para a lenda da Lagoa das Lágrimas, um dos lugares mais visitados da cidade, construída por volta de 1964 a 1968, ou a lenda da Capelinha do Degolado, muito conhecida pela região, que foi até tema de um programa de televisão no ano de 2010. Também tema lenda do Baile das Feias, sobre a passagem das tropas de Gumercindo pela nossa cidade, conta-se que no tempo dos maragatos da Revolução Federalista,Guarapuava,como outras cidades do Paraná, sofreram por fazer parte da rota das tropas que vinham do Rio Grande do Sul nessa época. Isso aconteceu por volta do ano de 1894 quando houve a fuga desses revoltosos. Segundo a lenda, a coluna de Juca Tigre e do Coronel Sancheseram era composta  de quinhentos homens que passaram por dentro da cidade para abstecerem-se de proventos, saqueando fazendas, levando animais e suprimentos e também cometendo grandes bárbaries amedron…

Pintores Paranaenses

A partir do século XIX, a pintura passou a se desenvolver no Paraná, incentivada por pintores como o imigrante norueguês Alfredo Andersen, e Guido Viaro, o segundo vindo da Itália. Ambos dedicaram-se ao ensino das artes visuais, além de pintarem suas obras inspiradas principalmente nas paisagens e temas do cotidiano paranaense. Responsáveis também pela formação de novas gerações de artistas no estado, como o exemplo de Lange Morretes, Gustavo Kopp e Theodoro de Bona, todos nascidos no Paraná.
Alfredo Andersen, apesar de norueguês, viveu muitos anos em Curitiba e Paranaguá, e ainda hoje é tipo como o pai da pintura paranaense. Foi ele o primeiro artista plástico atuar profissionalmente e a incentivar o ensino das artes puras no estado. Ele se envolveu de forma muito intensa com a sociedade paranaense da época em que viveu, registrando sua história e cultura. Rogério Dias, outro grande exemplo, sempre foi autodidata, sua trajetória artística tem sido uma soma de anos de paciente e inc…