Pular para o conteúdo principal

De pernas para o ar!


Certamente você já viu, ou ouviu dizer que o Parque do Lago é frequentemente tomado por grupos de jovens que, incompreendidos, muitas vezes passam por desocupados e/ou baderneiros. Mas você sabe o que realmente rola por lá? É cultura, minha gente! A cultura dos movimentos, apresentações e disputas de hip hop, break, dança de rua. É claro que algumas manifestações que ocorrem por lá podem ser consideradas de mal gosto (em todo lugar existe isso), mas esse não é o foco deste texto.

Existem grupos na cidade que amam a dança e se empenham em ensaios semanais para mostrar ao povo guarapuavano o que a cultura hip hop pode oferecer.



Luiz Rafael Merchior comanda o grupo Frezzy's Crew. Ele não sabia nada sobre dança, aprendeu vendo com os amigos vídeos e filmes. Posteriormente, fez workshops, viagens e manteve contato com outras pessoas para adquirir experiência. O grupo, que participa de campeonatos municipais e regionais, já foi campeão nas categorias coletivo e individual (Rafael). Os Frezzy's Crew estão sempre com vagas abertas para os interessados em aprender a dançar hip hop.

[Elas]
Nem só de meninos se faz o break. Como em todos os outros segmentos, empregos, setores e lugares, as mulheres estão ganhando espaço. No break, elas vieram para mostrar que o estilo também tem tudo a ver com meninas. E claro, elas trazem com elas todo o charme feminino.



Cabelos loiríssimos, olhos claros, estereótipo de garota quietinha, Marissa Mayer surpreende quando conta que dança hip hop. Suas fotos de ponta cabeça surpreendem mais ainda quem acreditava que hip hop “não é coisa de mulher”.



A “B-Girl” (como Marissa se define) se interessou pelo estilo assim que viu vídeos de garotas fazendo as acrobacias do hip hop, e logo procurou aprender. Ela diz não ter sofrido preconceito quando iniciou na dança em Guarapuava.

Os movimentos (e são muitos) do hip hop podem ser reproduzidos pelas meninas, mas claro, exigem um pouco mais de esforço por parte delas.

O conselho que Marissa dá às garotas que querem praticar essa atividade é que elas tenham força de vontade e determinação para permanecer na dança. Outra dica vale para a vida: Mari conta que com esse esforço, as meninas adquirem atitude e confiança para enfrentarem as situações cotidianas.


Ninguém quer te obrigar a amar o hip hop. Se você não gosta, apenas respeite da mesma forma que você gosta de ser respeitado em suas escolhas, gostos e opiniões.
Ao se deparar com uma apresentação de break, pare, olhe, escute. Veja o que os dançarinos tem a oferecer a você. Os movimentos são incríveis, e um dos grandes responsáveis pela popularização dessa cultura.

Clique na foto para vê-la corretamente


Serviço:
Grupo Frezzy's Crew
Ensaios: Terças e Quintas às 18h30 para iniciantes – 20h00 avançado
Local: Instituto de Dança IDAG. Rua XV de Novembro (em cima da Farmacia 3000 em frente ao Shoping Maria Antonia).
Mais informações com Rafael: http://www.orkut.com.br/Main#Profile?uid=7053995798501036561
(42) 3626-5373 ou (42) 84035373

Comentários

  1. melhor grupo de Guarapuava com certeza !

    ResponderExcluir
  2. B-girl baah diz:
    só a Marissa dança no Frezzy's crew ;)

    ResponderExcluir
  3. Frezzy's Crew, peace and evolution ! <3
    Posso afirmar que é o melhor grupo de gorpa msm, não so pq faço parte, na real mesmo..
    b-girl baah

    ResponderExcluir
  4. Todos sabem que não é só ela que dança no grupo (aliás, segundo ela, ela nem dança mais no Frezzy's), mas eu não coloquei ela na matéria como se ela fosse a única, mas sim para ela representar todas as meninas que dançam hip hop. Foi ela quem me apresentou a dança de vocês, nada mais justo que eu a entrevistasse.
    Ah, e eu nem falei que ela dançava no Frezzy's tbm...
    A idéia não era excluir ninguém, me desculpe se pareceu isso =x

    ResponderExcluir
  5. Rafaabboy Frezzt's Crew>>
    Evolução e mta paz a tdos q da dança...

    ResponderExcluir
  6. Mil perdões Jaqueline, é que eu me vi na foto e não fui citada e eu estava num dia ruim quando postei aquilo, sinceras desculpas (:

    ResponderExcluir
  7. Tudo bem! rsrs
    Está tudo entendido agora! hehehe
    Parabéns pela dança, já vi fotos suas "freezando" também, e achei bem legal =D


    POR: JAQUELINE

    ResponderExcluir
  8. show de bola
    ti amulll bah voce é meu tudao e minha B_Girl preferida bjuss !!
    Ah mais tbm ti amo maninha linda mari quero só ve voces batalhando la dia 05 boa sorte bjoss!!!


    Ahh e parabens pelo blog Jaqueline!!

    ResponderExcluir
  9. E uma Grande satisfaçao mostra ao povo Guarapuavano, e a todas as regiao o nosso trabalho..Agradeço aos nosso colaboradores..E o pessoal da Faculade q nos deu muinto apoio e a vc Jaqueline,,Por essa grande materia ta bom?? Q Deus einlumine os seus caminhos.. E continue nesse maravilhoso trabalho.. Vlw Abraços, do Darcy G@lleto (Freezys Crew)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

RESUMO DA OBRA "VÁRIAS HISTÓRIAS", DE MACHADO DE ASSIS

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu em 21 de junho de 1839, na cidade do Rio de Janeiro. Filho de família pobre e mulato, sofreu preconceito, e  perdeu a mãe na infância, sendo criado pela madrasta. Apesar das adversidades, conseguiu se instruir. Em 1856 entrou como aprendiz de tipógrafo na Tipografia Nacional. Posteriormente atuou como revisor, colaborou com várias revistas e jornais, e trabalhou como funcionário público. Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras. Algumas de suas obras são Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba, O Alienista, Helena, Dom Casmurro e Memorial de Aires. Faleceu em 29 de setembro de 1908.
Contexto Histórico
Várias histórias foi publicado em 1896, fazendo parte do período realista de Machado de Assis. Os contos da obra são profundamente marcados pela análise psicológica das personagens, além da erudição e intertextualidade que transparecem, como por ex., referências à música clássica, a clássicos da literatura, bem como a histórias bíb…

Lendas de Guarapuava

Por Elis Oliveira
Há quem acredite que Guarapuava é uma cidade permeada por lendas. Quem nunca ouviu alguém contar a sua versão para a lenda da Lagoa das Lágrimas, um dos lugares mais visitados da cidade, construída por volta de 1964 a 1968, ou a lenda da Capelinha do Degolado, muito conhecida pela região, que foi até tema de um programa de televisão no ano de 2010. Também tema lenda do Baile das Feias, sobre a passagem das tropas de Gumercindo pela nossa cidade, conta-se que no tempo dos maragatos da Revolução Federalista,Guarapuava,como outras cidades do Paraná, sofreram por fazer parte da rota das tropas que vinham do Rio Grande do Sul nessa época. Isso aconteceu por volta do ano de 1894 quando houve a fuga desses revoltosos. Segundo a lenda, a coluna de Juca Tigre e do Coronel Sancheseram era composta  de quinhentos homens que passaram por dentro da cidade para abstecerem-se de proventos, saqueando fazendas, levando animais e suprimentos e também cometendo grandes bárbaries amedron…

Pintores Paranaenses

A partir do século XIX, a pintura passou a se desenvolver no Paraná, incentivada por pintores como o imigrante norueguês Alfredo Andersen, e Guido Viaro, o segundo vindo da Itália. Ambos dedicaram-se ao ensino das artes visuais, além de pintarem suas obras inspiradas principalmente nas paisagens e temas do cotidiano paranaense. Responsáveis também pela formação de novas gerações de artistas no estado, como o exemplo de Lange Morretes, Gustavo Kopp e Theodoro de Bona, todos nascidos no Paraná.
Alfredo Andersen, apesar de norueguês, viveu muitos anos em Curitiba e Paranaguá, e ainda hoje é tipo como o pai da pintura paranaense. Foi ele o primeiro artista plástico atuar profissionalmente e a incentivar o ensino das artes puras no estado. Ele se envolveu de forma muito intensa com a sociedade paranaense da época em que viveu, registrando sua história e cultura. Rogério Dias, outro grande exemplo, sempre foi autodidata, sua trajetória artística tem sido uma soma de anos de paciente e inc…