Pular para o conteúdo principal

Ilustrando uma paixão

Karoline Fogaça

Foto: Karoline Fogaça
Foto: Karoline Fogaça


Usadas como um meio de expressar humor, crítica, acontecimentos factuais ou fictícios, as histórias em quadrinhos já conquistaram várias gerações, são alvos de colecionadores e de jornais. As HQ, que nada mais é do que o abreviamento das palavras Histórias em Quadrinhos, tem suas origens em um passado muito antigo. Hoje é considerado HQ o meio de comunicação que utiliza à escrita e a imagem, mas podemos considerar que as pinturas rupestres e a via sacra, exposta nas igrejas, são os antecessores do que conhecemos hoje, pois essas imagens também contam uma história, assim como os quadrinhos.       
            A primeira história em quadrinhos moderna foi criada pelo artista norte-americano Richard Outcault em 1895. As histórias com um personagem principal que se comunica com o leitor por meio de balõezinhos surgiu nos jornais sensacionalistas de Nova York com o Yellow Kid (Menino Amarelo). A tirinha fez tanto sucesso que outros jornais nova-iorquinos também queriam ter o Yellow Kid em suas páginas.       
            Hoje, é difícil encontrar alguém que nunca leu uma tirinha ou que não goste de rir um pouco com as charges. Quando somos crianças, os desenhos nos chamam muita atenção e desenhar é um modo em que podemos demonstrar nossos sonhos, medos, desejos e outras tantas coisas. Foi assim que, desde criança, Edenilso Carlos Benato, hoje professor de desenho na Casa da Cultura de Guarapuava e chargista do Diário de Guarapuava, descobriu seu dom para desenhar. Quando pequeno já se arriscava em alguns traços e rabiscos. O tempo foi passando e ele foi se aprimorando, ajudava os colegas nas aulas de artes que iam falar com ele para os trabalhos.        
            Como vários artistas dessa área, Edenilso começou fazendo caricaturas em um shopping de Curitiba, sua cidade natal. As pessoas que estavam no shopping passavam, paravam, ele fazia caricaturas e também outros desenhos, e conseguia um dinheiro com isso, mas a sua paixão não é exatamente a caricatura, mas os quadrinhos.
            Quando veio para Guarapuava, ele parou de desenhar por um tempo, mas depois que foi trabalhar na Casa da Cultura foi descoberto pela diretora da instituição e começou a dar aula, para que ele ensinasse o que aprendeu sozinho para outras pessoas.        
            Sua preferência pelos quadrinhos é explicita, pois é assim que ele pode expressar o humor de uma maneira em que na caricatura não é tão fácil, deve ser algo mais reservado, pois nem todos tem a mesma visão de humor do caricaturista e pode se ofender com a brincadeira. Edenilso gosta de desenhar sobre vários assuntos, o que lhe vem na cabeça na hora ele passa para o papel.
            O professor tem vários sonhos, o primeiro deles é montar seu próprio estúdio e o segundo é fazer uma revistinha com seus trabalhos e com os trabalhos de seus alunos, pois quer ajudar seus pupilos a terem um espaço para publicar seus trabalhos, ter algum um material para divulgar seus desenhos.            
            Para fazer curso de desenho na Casa da Cultura é só ir lá se escrever e não precisa saber desenhar, basta gostar e ter afinidade com o desenho. A intenção do curso é fazer com que o aluno comece a desenvolver seu talento, produzir com qualidade, dentro de seu estilo e sua capacidade.           
            A Casa da Cultura fica na Rua Alcione Bastos, número 21, para mais informações: 3621-4580.


Foto: Karoline Fogaça


Pré-projeto da revista de Edenilso. Foto: Karoline Fogaça

Quadrinhos produzidos pelos alunos. Foto: Karoline Fogaça

Comentários

  1. 90 % de guarapuava é formado por ignorantes. Povo sem cultura e cidade com essa idade sem desenvolvimento. Por isso que essa cidade nao anda pra frente.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

RESUMO DA OBRA "VÁRIAS HISTÓRIAS", DE MACHADO DE ASSIS

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu em 21 de junho de 1839, na cidade do Rio de Janeiro. Filho de família pobre e mulato, sofreu preconceito, e  perdeu a mãe na infância, sendo criado pela madrasta. Apesar das adversidades, conseguiu se instruir. Em 1856 entrou como aprendiz de tipógrafo na Tipografia Nacional. Posteriormente atuou como revisor, colaborou com várias revistas e jornais, e trabalhou como funcionário público. Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras. Algumas de suas obras são Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba, O Alienista, Helena, Dom Casmurro e Memorial de Aires. Faleceu em 29 de setembro de 1908.
Contexto Histórico
Várias histórias foi publicado em 1896, fazendo parte do período realista de Machado de Assis. Os contos da obra são profundamente marcados pela análise psicológica das personagens, além da erudição e intertextualidade que transparecem, como por ex., referências à música clássica, a clássicos da literatura, bem como a histórias bíb…

Lendas de Guarapuava

Por Elis Oliveira
Há quem acredite que Guarapuava é uma cidade permeada por lendas. Quem nunca ouviu alguém contar a sua versão para a lenda da Lagoa das Lágrimas, um dos lugares mais visitados da cidade, construída por volta de 1964 a 1968, ou a lenda da Capelinha do Degolado, muito conhecida pela região, que foi até tema de um programa de televisão no ano de 2010. Também tema lenda do Baile das Feias, sobre a passagem das tropas de Gumercindo pela nossa cidade, conta-se que no tempo dos maragatos da Revolução Federalista,Guarapuava,como outras cidades do Paraná, sofreram por fazer parte da rota das tropas que vinham do Rio Grande do Sul nessa época. Isso aconteceu por volta do ano de 1894 quando houve a fuga desses revoltosos. Segundo a lenda, a coluna de Juca Tigre e do Coronel Sancheseram era composta  de quinhentos homens que passaram por dentro da cidade para abstecerem-se de proventos, saqueando fazendas, levando animais e suprimentos e também cometendo grandes bárbaries amedron…

Pintores Paranaenses

A partir do século XIX, a pintura passou a se desenvolver no Paraná, incentivada por pintores como o imigrante norueguês Alfredo Andersen, e Guido Viaro, o segundo vindo da Itália. Ambos dedicaram-se ao ensino das artes visuais, além de pintarem suas obras inspiradas principalmente nas paisagens e temas do cotidiano paranaense. Responsáveis também pela formação de novas gerações de artistas no estado, como o exemplo de Lange Morretes, Gustavo Kopp e Theodoro de Bona, todos nascidos no Paraná.
Alfredo Andersen, apesar de norueguês, viveu muitos anos em Curitiba e Paranaguá, e ainda hoje é tipo como o pai da pintura paranaense. Foi ele o primeiro artista plástico atuar profissionalmente e a incentivar o ensino das artes puras no estado. Ele se envolveu de forma muito intensa com a sociedade paranaense da época em que viveu, registrando sua história e cultura. Rogério Dias, outro grande exemplo, sempre foi autodidata, sua trajetória artística tem sido uma soma de anos de paciente e inc…