Pular para o conteúdo principal

Fabiano Souza

“Amanda, tenho uma pauta incrível pra você”, foi assim que conheci o trabalho do Fabiano. E não é que a pauta era incrível mesmo?

 Então, como tudo o que é bom vem parar no Gorpa, hoje, a entrevista é com o Ilustrador, Fabiano Souza.


Quando você descobriu que levava jeito para desenhar?
Então, eu já desenho desde pequeno, minhas influências já vinham de lá, adorava Turma da Mônica e uns livros de atividades da Disney que meus pais me davam. Mais tarde eu ganhava Recreio, em quantidade menor porque era mais cara, desde então passei a sonhar em ser "desenhista".

De “desenhista” para ilustrador
Comecei a cursar Publicidade em 2011, curtia muito criação, mesmo sem saber bem ao certo o que era. A faculdade serviu pra confirmar o que eu queria. Não botava muita fé nos meus desenhos até que um amigo ilustrador, do interior do Rio de Janeiro, afirmar que eu era bom e que eu deveria divulgar mais. A partir daí comecei a seguir o que ele falava e cresci muito como ilustrador.

Ilustração feita para o tributo Cartoon Network
E Sobre o convite para fazer o tributo ao Cartoon Network?
Esse ano fui convidado pelo Vitor Martins a integrar um time com 50 ilustradores para fazer um tributo ao Cartoon Network, fiquei muito feliz, pois cresci vendo desenho animado e gosto até hoje, talvez ainda mais. Pra esse projeto escolhi Mansão Foster. Falando do projeto ele está indo muito bem, já saímos em portais da Abril e até no Youpix, sem contar que o próprio Chris Battle já falou da gente, ele quem criou o visual das Meninas Superpoderosas e do Dexter, entre outros desenhos.

Qual é o seu estilo? Quem te inspira?
Eu sempre curti coisas retro e acho que isso influenciou meus desenhos também, tanto que tenho uma pegada anos 50, gosto bastante disso pois sempre fui fã de Jetsons e o estilo de Hanna Barbera.

Como é o mercado de trabalho, aqui em Guarapuava?
Eu trabalho na Hey. Às vezes rola uns trabalhos onde eu posso ilustrar, mas isso depende muito do cliente e da campanha, quando não há possibilidades tem que ter paciência. Meu público pra ilustração se concentra fora da agência e sempre acabo sendo indicado por alguém, como foi o caso dos mascotes pro lanche infantil da Retro ou a mulher em popart da fachada, foi um trabalho divertido porque quanto à fachada saiu bastante do que costumo fazer.

Quais são suas metas para 2014?
Pra esse ano a meta é conseguir um trabalho pra Recreio, já imaginou que bacana seria ilustrar pra revista que tanto me influenciou e influenciar as crianças que estão crescendo?


Ilustração feita para a comunicação infantil da Retro,
uma hamburgueria toda trabalhada nos anos 50.

Ficou com gostinho de quero mais? Então, é só visitar e curtir a página do artista Fabiano e se preparar para não perder mais nenhuma postagem. https://www.facebook.com/fabianoms 

Amanda Bastos Maciel




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

RESUMO DA OBRA "VÁRIAS HISTÓRIAS", DE MACHADO DE ASSIS

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu em 21 de junho de 1839, na cidade do Rio de Janeiro. Filho de família pobre e mulato, sofreu preconceito, e  perdeu a mãe na infância, sendo criado pela madrasta. Apesar das adversidades, conseguiu se instruir. Em 1856 entrou como aprendiz de tipógrafo na Tipografia Nacional. Posteriormente atuou como revisor, colaborou com várias revistas e jornais, e trabalhou como funcionário público. Foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras. Algumas de suas obras são Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba, O Alienista, Helena, Dom Casmurro e Memorial de Aires. Faleceu em 29 de setembro de 1908.
Contexto Histórico
Várias histórias foi publicado em 1896, fazendo parte do período realista de Machado de Assis. Os contos da obra são profundamente marcados pela análise psicológica das personagens, além da erudição e intertextualidade que transparecem, como por ex., referências à música clássica, a clássicos da literatura, bem como a histórias bíb…

Lendas de Guarapuava

Por Elis Oliveira
Há quem acredite que Guarapuava é uma cidade permeada por lendas. Quem nunca ouviu alguém contar a sua versão para a lenda da Lagoa das Lágrimas, um dos lugares mais visitados da cidade, construída por volta de 1964 a 1968, ou a lenda da Capelinha do Degolado, muito conhecida pela região, que foi até tema de um programa de televisão no ano de 2010. Também tema lenda do Baile das Feias, sobre a passagem das tropas de Gumercindo pela nossa cidade, conta-se que no tempo dos maragatos da Revolução Federalista,Guarapuava,como outras cidades do Paraná, sofreram por fazer parte da rota das tropas que vinham do Rio Grande do Sul nessa época. Isso aconteceu por volta do ano de 1894 quando houve a fuga desses revoltosos. Segundo a lenda, a coluna de Juca Tigre e do Coronel Sancheseram era composta  de quinhentos homens que passaram por dentro da cidade para abstecerem-se de proventos, saqueando fazendas, levando animais e suprimentos e também cometendo grandes bárbaries amedron…

Pintores Paranaenses

A partir do século XIX, a pintura passou a se desenvolver no Paraná, incentivada por pintores como o imigrante norueguês Alfredo Andersen, e Guido Viaro, o segundo vindo da Itália. Ambos dedicaram-se ao ensino das artes visuais, além de pintarem suas obras inspiradas principalmente nas paisagens e temas do cotidiano paranaense. Responsáveis também pela formação de novas gerações de artistas no estado, como o exemplo de Lange Morretes, Gustavo Kopp e Theodoro de Bona, todos nascidos no Paraná.
Alfredo Andersen, apesar de norueguês, viveu muitos anos em Curitiba e Paranaguá, e ainda hoje é tipo como o pai da pintura paranaense. Foi ele o primeiro artista plástico atuar profissionalmente e a incentivar o ensino das artes puras no estado. Ele se envolveu de forma muito intensa com a sociedade paranaense da época em que viveu, registrando sua história e cultura. Rogério Dias, outro grande exemplo, sempre foi autodidata, sua trajetória artística tem sido uma soma de anos de paciente e inc…